Principal / Institucional / Sala de Imprensa


Correspondente O Povo


Excelentíssimo prefeito de fortaleza


Maria Helena Vasconcelos - Aluna do 9º Ano do Ensino fundamental

Em Fortaleza, a educação não é considerada importante, e nós, cidadãos fortalezenses, não nos conformamos com isso. Muitas crianças estão na rua pedindo dinheiro e trabalhando o dia todo, ao invés de estarem na escola estudando. Os pais dessas crianças muitas vezes não tomam nenhuma providência e deixam seus filhos sem educação nenhuma.

Outra situação é a falta de professores. Sempre se vê, nos jornais ou nas televisões, notícias sobre greves ou falta de professores em escolas públicas brasileiras. Sem professores, não haverá aulas e, sem aulas, não teremos alunos educados e inteligentes. 

Aumentar o número de professores nas escolas de Fortaleza ajudaria crianças, famílias e boa parte da população de Fortaleza. Crianças trabalhando ou pedindo dinheiro deveria ser proibido. Essas pobres crianças deveriam estar em uma sala de aula, aprendendo as regras de matemática, o alfabeto da língua portuguesa, mapas geográficos etc.

Nós, fortalezenses, esperamos que você, prefeito, leia esta carta com o seu coração e providencie mudanças.


O Povo, 28/04/2013
Jornal do Leitor

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Poluição no meio onde vivemos


Beatriz Corrêa de Sena - Aluna do 1ª Ano do Ensino Médio


Hoje em dia, a poluição está aumentando de maneira muita rápida, provocando danos aos ecossistemas naturais e urbanos. As atividades industriais e os meios de transportes a combustíveis fósseis são uma das principais fontes de emissão dos gases poluentes.
A população, por sua vez, sofre com os efeitos ao respirar um ar poluído, causando doenças no sistema respiratório e no sistema circulatório. A cada ano que passa, os países mais industrializados geram milhões de toneladas de contaminantes.
A contaminação da atmosfera não está só prejudicando os seres humanos, as plantas e os animais são alvos disto tudo, poluindo o solo e a moradia de inúmeros animais.
Apesar de tudo, o homem tem procurado soluções para esse problema. Muitos automóveis, por exemplo, já utilizam gás natural. A tecnologia tem avançado cada vez mais no sentido de gerar máquinas e combustíveis menos poluentes ou que não gerem poluição, diminuindo, assim, a contaminação do meio ambiente.


O Povo, 23/04/2013
Jornal do Leitor

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Atitudes para um mundo melhor

Sarah Vitória Castelo - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


O mundo poderia ser melhor, se todos juntos ajudassem poderíamos fazer o melhor para o mundo.
Podemos reciclar e vai a dica: pega o metal combina com papelão, depois combina plástico e madeira e já transforma em coisa nova.
A natureza está pedindo ajuda e nós devemos ajudar se quisermos um mundo melhor. Nós teremos que ajudar: reciclar, reutilizar, reduzir e criar mais leis. Tudo isso vai ajudar e mais coisas lindas teremos para apreciar.

O Povo, 09/04/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Descoberta

Tallita Nikássia L. de Souza - Aluna do 3º Ano do Ensino Médio


Nunca se pensou que ser descoberto
Significaria algo tão ruim.
Um lugar,
Completamente natural
E de uma beleza sem fim.

Riquezas não faltavam,
Mas não estou falando de ouro,
Estou falando de um povo
Que com sua pureza
Caiu na exploração de uma realeza.

Mesmo com dificuldades,
O país cresceu
E se desenvolveu
Mostrando a força e a competência
Que ninguém nunca percebeu.

E hoje está entre os grandes,
Aqueles a quem recorreu,
Apresentando todo o seu poder
E a sabedoria de um povo
Que o mundo ainda irá se surpreender.

O Povo, 09/04/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Jeito de doar

Thays Cavalcante Escócio - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Colégio Ari de Sá,
inovando a cada dia.
Faz você se impressionar,
com simpatia e alegria
os alunos chegam lá
aprendendo a cada dia
um novo jeito de doar.

Com tanta alegria,
esse projeto chegou,
distribuindo tanto amor
para todos os vovôs.

Segurem suas mãos,
a campanha começou e
vamos todos juntos
fazer feliz alguém que
tanto nos ensinou.

Tragam alimentos e carinho
também satisfaz,
aqueles que precisam
de alegria, amor e paz.

Um beijinho, um abraço
a eles vamos dar
não importa a quantidade
felizes vão ficar.

O Povo, 05/02/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amizade

Jennifer Sampaio Tenório Cavalcante - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Nessa vida encontramos alguns anjos que chamamos de amigos, são eles que estão sempre ao nosso lado e nos apoiam.
A amizade é algo mágico que surge do nada e de repente se torna tudo. Muitas vezes, quando nos decepcionamos com algo, os amigos rapidamente conseguem colocar um sorriso verdadeiro em nosso rosto. Muitas vezes, eles são mais que amigos, são irmãos, apenas de mães diferentes. Amigos são para todas as horas, para rir ou para chorar, conte sempre com um ombro amigo. A amizade é um tesouro que devemos guardá-lo em nosso coração.
Amigos de verdade são para sempre, são eternos.

O Povo, 05/02/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Você

Matheus Henrique Fernandes - Aluno do 2º Ano do Ensino Médio


A terra do sol, da liberdade,
Que tem nas águas o espelho do sol brilhante.
Nas matas, a perfeita vida abundante,
Ah! Como sinto saudade.

Terra do homem trabalhador,
Do cidadão receptivo
Que tem sempre um costume chamativo
Mas que sempre trata todos com amor.

0h! Minha terra, tão agitada!
Com uma infância tão sofrida,
Juventude conturbada,
Hoje, por todos é amada.

Hoje, em você vejo a glória.
Perfeita glória de um Brasil,
Que lutou sempre até a última força,
Mas sempre conseguiu a sua vitória.

O Povo, 05/02/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A viagem de avião

Yann Arrais de Oliveira - Aluno do 2º Ano do Ensino Fundamental


Um dia, quando eu e minha família estávamos de férias meu pai, Ossian, disse: – Vamos viajar de avião para Salvador? E eu fiquei muito feliz. Mas teve um problema, minha mãe Aline tinha medo de viajar de avião. No dia seguinte, minha mãe acordou falando uma coisa que eu fiquei muito feliz.
– Vamos viajar de avião?
Eu achei esquisito, mas mamãe disse que se a gente não estiver feliz ela também não vai ficar. Ai nós fomos para Salvador. Quando nós chegamos no aeroporto eu fiquei mais do que feliz, mas o avião não tinha chegado, então a gente teve que esperar. Quando o avião chegou, minha mãe e meu pai e eu fomos entrando nele. Depois de uma hora nós chegamos em Salvador, foi muito rápido. A gente ficou na casa do meu tio Raimundo. Foi muito legal, então eu guardo esta lembrança para a minha vida toda.

O Povo, 05/02/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Medo faz parte

Tarcila Barboza - Aluna do 5º Ano do Ensino Fundamental


Medo faz parte. Quem não tem?
Por exemplo, eu tenho muitos medos! Crianças, adolescentes, adultos e idosos também têm, isso é comum. Mas o medo é uma emoção muito forte. Nos provoca insegurança, mal-estar e preocupação.
Medo também é bom, pois previne coisas que podem acontecer de ruim com as pessoas.
Eu tenho medo até demais:
 Medo de insetos.
 Medo de perder pessoas que amo.
 Medo de não poder fazer o que gosto.
 Medo de ladrão.
Para tentar melhorar minhas situações, eis os meus antídotos:
 Penso em coisas positivas.
 Peço às pessoas ajuda e atenção.
 Tento ser cautelosa.
 Enfrento tudo com garra.
 Me distraio, brinco, assisto TV e converso.
Medos todos têm, pelo menos uma vez.

O Povo, 05/02/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Jovem pureza

Felipe Gomes Nascimento - Aluno da 1º Ano do Ensino Médio


Como é bom me lembrar da época em que eu era ingênuo. Tão boa época em que não precisava me preocupar com o que quero cursar na faculdade ou com que roupa eu deveria sair.
Saudade daquela época em que me preocupava somente em jogar futebol e fazer prova de matemática onde a questão mais difícil era de dividir.
Tão boa infância. Nunca iria imaginar que um dia iria me preocupar com que as garotas iriam achar de mim e muito menos ter que me preocupar em escolher político digno.
Tão boa infância! Tão bom ser puro! Tão bom ser criança!

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Pratique boas maneiras

Ana Camila Barros - Aluna do 5º Ano do Ensino Fundamental


Se você pratica boas maneiras, elas poderão ser retribuídas. Como: se você passa por uma pessoa e diz, "Bom dia", ela poderá lhe responder de volta.
Praticar boas maneiras é uma forma de melhorar o mundo. Assim, se somos educados com alguém, evitamos brigas, inimizades, praticamos a paz mundial. Quando queremos ter vários amigos, temos que começar praticando boas maneiras, assim temos mais amizades. Essa é a importância das boas maneiras pois assim temos mais amigos e paz.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Trânsito

Paula Camarotti - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Ultimamente, o trânsito está cada vez mais desgastante e estressante; o respeito das pessoas está acabando.
As pessoas não respeitam os outros, e quando acontece um acidente ou uma batida, elas só querem tirar a culpa de si mesmas para não ter prejuízo. Outro problema enorme do trânsito é a falta de atenção, como: atender ligações ao dirigir, assistir televisão, sono, entre outros. E para esses problemas no trânsito melhorarem não depende de mais ninguém, apenas de nós. Dar a frente para um carro passar, parar para um pedestre atravessar a rua e obedecer ao semáforo não custa nada, nem iria lhe atrasar para uma ocasião.
Faça melhorar o trânsito de nossa cidade, converse com familiares e amigos, para termos uma cidade melhor e mais organizada.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Meu Brasil

Mateus Miguel de Sousa Gomes - Aluno do 2º Ano do Ensino Médio


Nasci numa terra exótica,
Que pela sua beleza, extravagância
São como narcóticos à ótica.

Cresci debaixo do sol
Em meio à terra seca, pó e mato arigó
Cresci numa terra que apesar das controvérsias
Só tem alegria e gente esperta.

Nessa terra aprendi a plantar, colher e em Deus confiar
Nessa terra aprendi a ser forte
E as outras pessoas enfrentar,
Sou do Brasil,
Sou do Ceará.
Nasci do progresso
Nasci da nação,
Cresci esperto
Mas ajo com o coração.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Lados

Eustáquio Carvalho Guimarães Neto - Aluno do 2º Ano do Ensino Médio


Negativo, positivo
Dois lados divididos
Em um Brasil reprimido
Repleto de opiniões.

Críticas, comentários, dilemas
Inúmeros problemas
Só promessas tão dispersas
E a competência às avessas.

Recursos em abundância
Em território nacional
Quase subdesenvolvido
Desigualdade sem igual.

Um governo popular
Buscando o crescimento
Não aumento nem invento
Difícil acreditar.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A beleza de ser criança

Vitória Brito Pereira Rufino - Aluna do 1º Ano do Ensino Médio


A beleza de ser criança
É ter esperança
Acreditar
E, acima de tudo, sonhar
Por um mundo melhor.

A beleza de ser criança
É a inocência
E crer na essência
Da felicidade.

A beleza de ser criança
É um olhar sincero
Um abraço apertado
E um beijo molhado.

A beleza de ser criança
É acreditar em tudo que lhe falam
É ter pureza em seu olhar
E a incrível emoção de brincar.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Queria te dizer...

Taiane Carolina B. Monteiro - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Eu queria te ver,
mas só posso escrever!
Queria te dizer...

O tempo passa e eu
te quero!
O tempo passa e eu
ainda te espero!
I love you!

Te quero mais que tudo,
Te quero, pois és o meu mundo!
Não consigo mais te esquecer,
Te amo e não sei viver sem ti!

Às vezes, esqueço
De todas as lágrimas derramadas,
Pois me lembro
De todas as nossas risadas!

Te conto, nesses versos,
Meu sentimento,
E o meu tormento.

Te conto também
Que não quero mais ninguém.

Assinado: a segunda pessoa mais bonita do mundo, porque a primeira é você.

O Povo, 29/01/2013
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O mestre dos mestres

Wládia Pontes Araújo - Aluna do 1º Ano do Ensino Médio


O nosso patriotismo é tamanho. Nos orgulhamos de advogados bem reconhecidos, de médicos especialistas, de casas tão belas e bem arquitetadas; mas o segredo disso tudo vem de onde? Na nossa vida, encontramos mestres, são os professores.
Quem não se recorda da primeira professora do jardim ou da alfabetização? Ou melhor, quem não se recorda daquela professora que o acolheu nos braços enquanto você chorava com saudades da sua mãe? Aquela que o segurava no parquinho do pátio da escola. Aquela que lhe ensinou a ler para compreender melhor o mundo.
Professores do ensino fundamental que lhe deram notas baixas e lhe fizeram chorar. Mas no ensino médio você entendeu que eles queriam apenas seu melhor. O professor da faculdade, aquele que lhe marcou, era ela que sabia de tudo e para você tentou ensinar. Teve aquele que, até hoje, deixa saudades por animar as aulas contando piadas.
São esses mestres que fazem os advogados reconhecidos, os médicos especialistas e os arquitetos capacitados. Foram esses mestres que fizeram o que você é hoje, fizeram a sua educação e construíram o seu conhecimento. Aos professores, o meu agradecimento por terem me ensinado.

O Povo, 23/10/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ser criança

Isaac Muniz Bezerra - Aluno do 3º Ano do Ensino Fundamental


Ser criança
é ter esperança
no coração,
uma emoção.

Criança tem
que ter vontade
para fazer
amizade!

Ser criança
de verdade
é ter criatividade
e curiosidade.

O Povo, 23/10/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Vida de criança

Nicole Lauren Ramos Nobre - Aluna do 5º Ano do Ensino Fundamental


Uma vida de criança
É cheia de felicidade
Com brincadeiras
E muitas amizades.

Vida de criança é de
total diversão,
sem nenhuma preocupação
mas com muita educação

Vida de criança é
também responsabilidade
com respeito,
e verdade.

O Povo, 09/10/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Um poema para ti, meu pai

Rodrigo Veras


Pensei que fosse fácil fazer-te um poema, papai. Mas vejo que tua vida é um poema difícil, que a gente não pode escrever.
Vejo os calos das mãos que contam histórias de enxadas, caminhando pelos campos; e histórias de chinelos, falando uma linguagem, que os filhos não entendem.
Vejo os calos dos joelhos, que contam histórias humildes de horas silenciosas, conversadas com Deus.
Vejo as rugas da fronte que falam das rugas da alma como sulcos da terra que as chuvas abriram.
Vejo os pés cansados, rasgados por espinhos, que a gente não vê.
Vejo o calor brilhante do coração que sempre nos ama, quando ainda não sabíamos amar. Eu me lembro de um pai, que dorme de olhos abertos pensando no filho, que não abre os olhos.
Lembro-me de um pai, que varre o lixo das ruas, pensando no lixo das casas, que não pode varrer.
Lembro-me de um pai, que bebe suas mágoas na garrafa, pensando matar as mágoas da vida.
Lembro-me de papai: é difícil fazer um poema para ti, que vives o poema mais lindo.

O Povo, 21/08/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ser poeta

Luiza Joaquina G. Almeida - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Ser poeta é falar o que pensa
dos sentimentos, do mundo.
Ser poeta é brincar com as palavras,
brincar com as letras.

Ser poeta é fazer da vida um jogo,
fazer dela um quebra-cabeça.
Ser poeta é tentar transformar o mundo,
tentar fazê-lo um lugar melhor.

Ser poeta é falar do amor,
e falar do ódio.
Ser poeta é ser feliz,
é ser triste, é sentir de tudo.

Ser poeta é ser sofredor,
fazer de tudo em nome do amor.
Ser poeta é amar, é odiar,
é sofrer, é chorar, é sentir dor.

Ser poeta é viver
em nome do amor.

O Povo, 14/08/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mil vezes, obrigada

Isadora Lara Dias Alves - Aluna do 9º Ano do Ensino Fundamental


Primeiro falamos papa, depois papai, logo após pai, mesmo falando de muitas formas durante nossa vida, o sentido dessa palavra nunca irá mudar, esse sentido expressa: carinho, união, segurança, fraternidade, alegria, diversão, seriedade, amor, tudo isso junto em apenas um substantivo ''pai''.
Muitas vezes agindo de forma séria, mas isso apenas para a nossa alegria, para nos ensinar o que é certo e errado, o que vai servir futuramente apenas para o bem, ele nos ensina a ver a vida fora da nossa casa e escola, a como se cuidar quando não quiser o cuidado dele, mesmo sabendo que a proteção dele sempre lhe deu segurança, nós vamos crescer, mais sempre sendo criança, pois o nosso pai nunca nos abandona e nunca o abandonamos.
Todo esse texto é apenas para falar aos pais o que todos os filhos querem dizer: eu te amo papai.

O Povo, 14/08/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O sentido da palavra pai

Sandy Evelyn Porto Dutra - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Primeiro falamos papa, depois papai, logo após pai, mesmo falando de muitas formas durante nossa vida, o sentido dessa palavra nunca irá mudar, esse sentido expressa: carinho, união, segurança, fraternidade, alegria, diversão, seriedade, amor, tudo isso junto em apenas um substantivo ''pai''.
Muitas vezes agindo de forma séria, mas isso apenas para a nossa alegria, para nos ensinar o que é certo e errado, o que vai servir futuramente apenas para o bem, ele nos ensina a ver a vida fora da nossa casa e escola, a como se cuidar quando não quiser o cuidado dele, mesmo sabendo que a proteção dele sempre lhe deu segurança, nós vamos crescer, mais sempre sendo criança, pois o nosso pai nunca nos abandona e nunca o abandonamos.
Todo esse texto é apenas para falar aos pais o que todos os filhos querem dizer: eu te amo papai.

O Povo, 14/08/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nina, a gorducha

Geovana Martins de Freitas - Aluna do 4º Ano do Ensino Fundamental


Nina tinha 10 anos, ela era uma garota gordinha e se achava diferente. Por que era a única garota que era gorda, todo mundo a chamava de baleia. Ela não tinha nenhum amigo, quando chegava em casa triste não comia nada, só uma barra de cereal.
Saía de casa a pé para ir à escola e saía pensando: "Será que eu guardo dinheiro para fazer uma cirurgia para tirar minhas gorduras?". Assim que chegou ao colégio já começaram a chamá-la de gordinha, ela nunca falou para os pais.
Certo dia chegou uma menina novata na sua sala, ela era magra demais. Ela se chamava Júlia. A Júlia começou a ser amiga da Nina. Nina perguntou a ela: - Você não se acha magra demais?
Ela respondeu:
- Sim, eu me acho demais, eu só queria ser um pouco gordinha igual a você.
Nina falou:
- Eu me acho super gorda!
- Eu não te acho gorda não, eu só me acho magra demais.
As duas começaram a rir.
Elas foram para casa e no dia seguinte ninguém chamou Nina de baleia, porque acharam esquisito uma menina gorda com uma menina magra, e aí todo mundo conviveu com suas diferenças.

O Povo, 03/07/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A viagem ao horizonte

Igor Girão Saraiva - Aluno do 5º Ano do Ensino Fundamental


Uma certa manhã, eu o marinheiro Igor, resolvi fazer uma grande descoberta, se a Terra era redonda. Saí com meus leais companheiros na minha grande caravela. Saímos de Portugal rumo à nossa jornada longa e cansativa. Um tempo depois, surgiu no cais uma grande tempestade com raios e trovões, mas, eu não desisti. Falei aos meus companheiros que nada iria impedir nossas aventuras.
Logo, logo a chuva ficou muito mais forte levando-nos para uma praia, não uma ilha, paramos e exploramos o local. Vi que estava tudo bem e decidi que íamos ficar lá para dormir. No decorrer da noite acontece algo muito estranho. A nossa caravela estava saindo do canto, foi um desespero. Logo levantei e fui nadando até lá e vi um grupo de piratas no meu barco. Puxei a minha espada e foi uma grande batalha para resgatar o meu barco mas consegui. Encostei o barco na ilha e dormi. Ao amanhecer, seguimos viagem, mais tarde chegamos no horizonte, e percebemos que não tinha fim.

O Povo, 03/07/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Alimentação

Jennifer Sampaio F. Cavalcanti - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


A alimentação é muito importante para nos mantermos fortes, durante o dia.
Temos que tomar cuidado, pois temos alimentos que, ao comê-los em excesso, podem nos fazer mal, trazendo doenças indesejáveis como a diabetes. Por isso, fazemos dietas e nelas temos que comer de tudo um pouco para no final perdermos aqueles quilinhos e estar bem com a saúde!
Nos Estados Unidos e em outros países, a maioria das pessoas está acima do peso por causa das comidas produzidas lá, por isso temos que ter uma alimentação saudável para termos uma vida saudável!

O Povo, 03/07/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Enem

Gabriela Kogan Capeletti - Aluna do 9º Ano do Ensino Fundamental


O exame nacional do ensino médio é uma época de tensão, pois o resultado da prova fica para vida toda. Essa é uma prova que deve ser feita por alunos do primeiro ao terceiro ano do ensino médio, e é super importante para quem quer entrar em uma boa faculdade. A primeira prova começa dia 3 de novembro às 13h e termina às 17h. Será de ciências humanas e ciências da natureza. A segunda prova começa no mesmo horário e termina no mesmo horário, será de linguagens, matemática e redação. Os estudantes devem prestar atenção as aulas, ler muito, fazer resumos sobre os assuntos e dormir oito horas ininterruptas antes da prova. Os gabaritos das provas saem três dias após a segunda prova.

O Povo, 03/07/2012
Direto da Escola
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amor e ódio

Kelly Nirly Barroso de Alencar - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Meu amor e minha paixões
Muitas ilusões
O amor virou paixão
E as paixões? Viraram, simplesmente,
Pequenas canções.

Rejeitando meus sentimentos,
Um por vez.

Via meu lamento gritar
Dentro do meu coração
Que existia uma passagem
Uma bela miragem.

Me enganei ao achar que o amor
Não existia
Ele existe em mim e em você
Mesmo que não pareça.

Não desista de procurar
Porque um dia você vai achar,
Ele sempre está em algum lugar,
Lá no fundo daquele buraco
Muito escuro
E que agora brilha em você
Com você.

O Povo, 19/06/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Os animais

André Macêdo Cavalcante Castro - Aluno do 6º Ano do Ensino Fundamental


Os animais podem
Ser selvagens ou de criação
Mas algumas pessoas
Maltratam de montão

Os animais são seres vivos
Não é para maltratar
Se fosse com as pessoas
Você iria se machucar

Os animais são formados
Por Deus, nós temos que
Cuidar deles, sem maltratar,
Com alegria, amor e com carinho.

O Povo, 19/06/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Única

Amanda de Sousa Lopes - Aluna do 2º Ano do Ensino Médio


Logo que seu nome vem à mente, eu penso: "O que seria de mim sem você?". E a resposta instantaneamente vem: "Definitivamente, eu não seria nada, pois não teria vida". Saiba, minha linda mãe, que nem mesmo os mais belos textos definiriam a gratidão e o amor que sinto por você, mas estão guardados no meu coração e não conseguem ser facilmente expressos por conta de uma estranha timidez.
A cada linha que termino de escrever, o papel é molhado com uma lágrima, mas na verdade meu desejo é poder depositá-la em seus ombros. Meus olhos brilham só em ter a certeza que todos esses sentimentos que sinto por você são recíprocos. Eu sei que, mesmo se um dia tudo desmorone ao nosso redor, esse tremendo amor ainda não seria abalado.
Apenas pelo fato de saber que seu sangue corre em minhas veias, sinto-me prestigiada. Mãe, eu te amo muito, você é mesmo única. Única e verdadeira melhor amiga, pois não mede esforços para me proteger e me auxiliar em todos os obstáculos.

O Povo, 19/06/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Alimentação

Jennifer Sampaio F. Cavalcanti - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


A alimentação é muito importante para nos mantermos fortes, durante o dia.
Temos que tomar cuidado, pois temos alimentos que, ao comê-los em excesso, podem nos fazer mal, trazendo doenças indesejáveis como a diabetes. Por isso, fazemos dietas e nelas temos que comer de tudo um pouco para no final perdermos aqueles quilinhos e estar bem com a saúde!
Nos Estados Unidos e em outros países, a maioria das pessoas está acima do peso por causa das comidas produzidas lá, por isso temos que ter uma alimentação saudável para termos uma vida saudável!


O Povo, 05/06/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ser pai

Letícia Santiago Capistrano - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Ser pai é ser
Companheiro e amigo,
É ser cuidadoso
E atencioso.

Ser pai é ser
Justo e honesto
É estar contigo
Para todo o sempre.

Ser pai é ser
Presente, dedicado
É amar, é brincar
É de tudo participar.

O Povo, 05/06/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aventura em alto-mar

Ana Cecília Vieira de Souza - Aluna do 5º Ano do Ensino Fundamental


Eu desde pequeno, quis navegar em alto-mar, mas toda a minha família era contra a minha escolha. Diziam que eu tinha que ser um médico, mais eu detestava medicina. Então, quando eu cresci dei um rumo em minha vida: avisei a todos que eu iria partir, e não liguei para a preocupação dos meus pais. Convidei meus amigos que tinham o mesmo plano que eu e nós partimos em um navio de madeira, bem grande. Levamos comida e água o suficiente para chegar ao nosso destino, ao BRASIL.
No primeiro mês de viagem foi mais ou menos tranquilo, mas quando completamos o segundo mês, veio a preocupação, o medo, estávamos com a nossa comida totalmente estragada. No outro dia, o meu amigo chamado Gabriel Siebra, disse que estava escutando barulhinhos de cobras, serpentes. Fiquei muito assustado e na mesma hora Matheus disse que algumas coisas estavam tentando virar o barco, e tinha mesmo, era uma serpente gigante, mas a sorte é que nós tínhamos espingardas.
Quando amanheceu, estava um dia lindo, porém a gente estava com a cara péssima. Meus amigos estavam com escorbuto, uma doença na gengiva, e disseram chorando: – Não dá mais para continuar, ali mesmo, foi muito triste, mas eu tinha que continuar assim mesmo.
Chegou o terceiro mês e eu sozinho cheguei ao meu destino: cheguei ao BRASIL.

O Povo, 22/05/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O erro faz parte da aprendizagem

Fernanda Duarte Barros - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


De acordo com o dicionário da Língua Portuguesa, Aurélio, errar significa falhar em algo, enganar-se, cometer atos incorretos.
Para mim, errar pode ser não fazer algo de acordo com o que se pede, não se sentir à vontade de fazer o certo com medo de magoar alguém, ou, às vezes, pode ser fazer algo para agradar alguém achando que é certo, quando, na verdade, é muito errado.
Quando erramos, na maioria das vezes, é porque não sabemos o certo, ou temos medo de segui-lo, então, depois que realizamos um ato errado, sempre vem alguém que nos ensina a diferenciar o certo do errado.
Nem sempre, aprender algo significa conhecer o certo, pois, às vezes, pessoas más nos ensinam coisas más dizendo que são certas, mas, se existe alguém do nosso lado, nos dirá que estamos errados e irá nos ajudar.
Se errar significa aprender, e aprender significa aprender o bem, então, sim, errar é necessário, mas não erros que machucam as pessoas, erros pequenos, que irão nos ajudar a sermos pessoas melhores.

O Povo, 22/05/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mãe

Cecília Catarina Oliveira de Castro - Aluna da 2ª Série do Ensino Médio


É uma mulher,
Que cuida e se preocupa,
Que ensina e acalenta,
Que sorri e amamenta.

Sempre está por perto
Cultivando seu afeto.
E, enquanto a sopa esfria,
Me declama poesias.

Me aconselha, me adora.
Me ajuda, me transforma.
E, quando eu perco tudo,
Meu coração, ela reforma.

O Povo, 08/05/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mãe, minha melhor amiga

Júlia Pinheiro Araújo - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Mãe, uma palavra com muitos sentidos
E com um dom especial:
Acariciar, ajudar e amar,
mas o principal é apoiar.

Se um dia eu precisar,
comigo ela vai estar;
nos momentos de aflição,
ela me estende sempre a mão.

Mesmo eu não a escutando
e escolhendo os meus caminhos,
ela continua comigo,
não desistindo de mim.

Mãe, obrigada por ser amiga,
obrigada por ser conselheira,
obrigada pro ser minha mãe,
nos momentos difíceis para mim.

O Povo, 08/05/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amar as mães

Giovanna Mazzini Terra - Aluna da 2ª Série do Ensino Médio


Eu sinto um amor tão grande
Mais bonito que a mais bela flor

Mamãe você me traz felicidade
Com a sua bondade

Você me dá um beijo
Gostoso igual a um queijo

E eu...
Sinto então um carinho,
Muito bonitinho
O amor é AMAR
E isso me faz adorar...


O Povo, 08/05/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Lutas populares por direitos: protesto ou diálogo?

Marcos Paulo de Araújo Ribeiro - Aluno da 2ª Série Ensino Médio


A questão da conquista de direitos por parte, principalmente, das camadas mais baixas da sociedade está presente desde a organização das primeiras civilizações. Com o desenvolvimento da burguesia e do capitalismo, as desigualdades sociais ficaram ainda mais explícitas, fato que aumentou o descontentamento popular e motivou o crescimento de movimentos com o ideal da reivindicação de direitos.
Os acontecimentos históricos mostram a preferência das classes mais pobres pelo protesto como forma de reivindicar seus interesses. Porém, poucos movimentos foram efetivos, devido à repressão violenta dos governos. Aqueles que tiveram maior êxito, como as lutas abolicionista e trabalhista, precisaram ter uma longa duração para obterem o apoio popular e concretizarem seus direitos.
Atualmente, os movimentos pela conquista de direitos que envolvem o protesto, como as greves do funcionalismo público e o movimento dos sem-terra, geram uma certa antipatia por parte da população. Devido à dependência dos serviços do primeiro, além da ocorrência de invasões e ocupações ilegais de propriedades pelo segundo, o povo tem seus direitos violados quando as manifestações feitas por essas classes acontecem. Esse fato enfraquece o apoio popular a essas reivindicações, contribuindo para que elas percam força e não obtenham o êxito esperado pelos manifestantes.
Com isso, é importante que os movimentos caracterizados pela obtenção de direitos compartilhem os protestos e o diálogo na sua atuação. Divulguem a causa para a população de forma consistente, com passeatas pacíficas e de conteúdo que esclareça as reivindicações, além de diálogos com os governantes e os empresários, enfim, são algumas atitudes que podem gerar o apoio popular ao movimento e valorizar a consolidação dos direitos reivindicados.

O Povo, 24/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A busca pela igualdade social

Lucas Nathan Pozza Pessoa - Aluno da 2ª Série Ensino Médio


O preconceito racial faz-se presente de forma constante na sociedade mundial. O regime "apartheid", que se consolidou na década de 60 na África do Sul, país com a maioria da população negra, e o "nazismo" – perseguição aos judeus – comandado por Hitler, são alguns exemplos que comprovam a gravidade de tal ato.
Falar a respeito do fim do preconceito torna-se muitas vezes utópico, visto que a população em geral não procura adequar-se às mudanças sociais, continuando preconceituosa e metódica. Logo estimulando a existência do racismo, mesmo que implicitamente.
O racismo, assim como a homofobia e o preconceito religioso, é um fato bastante debatido pelos governantes, porém este não será erradicado da sociedade tão facilmente.
A falta de estímulos do Estado no combate a tal ato estão deixando a desejar, já que não há educação de qualidade aos jovens e campanhas visando à conscientização das pessoas a respeito da não existência de raças e que somos todos iguais.

O Povo, 17/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A humanização na saúde

Ana Beatriz Arruda Carvalho de Oliveira - Aluna do Extensivo MeD


O exercício da Medicina deve priorizar, além da questão técnica, o tratamento humanitário dos pacientes. Um atendimento de saúde humanizado, ausente em geral, na prática dessa profissão, influencia positivamente na recuperação dos doentes e permite aos profissionais realizarem seus ofícios com uma maior satisfação.
Desde o século XIX, a ideologia positivista influencia no desenvolvimento das ciências médicas, o que tem levado, inegavelmente, a uma melhoria no atendimento técnico do paciente. Entretanto, paralelo a esse fato, foi sendo criado um distanciamento entre o profissional da saúde e o enfermo, e a patologia passou a monopolizar a atenção do ato médico. O doente é visto, cada vez mais, como um simples objeto de estudo e de aprendizagem acadêmica e seu conforto emocional é colocado em segundo plano durante o tratamento.
Nesse contexto, muitos profissionais esquecem que o atendimento de saúde deva ser feito com uma aproximação entre eles, e os pacientes, o que pode se dar, por exemplo, através de um maior diálogo entre as partes. O tratamento humanitário é um reflexo dos princípios básicos do exercício da Medicina, que envolvem a habilidade de ouvir e de observar com atenção e respeito às pessoas para, então, explicar a elas a natureza de sua enfermidade. Essa conduta profissional, além de ajudar a aliviar o sofrimento do doente, estimula o paciente a aderir ao tratamento, já que ele passa a compreender o seu estado de saúde e procurar melhorá-lo com a ajuda do médico.
Assim, o tratamento humanitário dos pacientes influencia positivamente na sua recuperação, já que são criados importantes vínculos de confiança e de respeito entre eles e os médicos. O objetivo fundamental dessa profissão, que é aliviar o sofrimento humano da melhor forma possível, é alcançado a partir do diálogo e da compreensão mútua.

O Povo, 17/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Meus animais

Luiza Eduarda de Mattos Gehlen - Aluna da 3ª Série Ensino Médio


Eu tenho muitos animais. O meu gato se chama Garfield. A minha gata se chama Nina. A Nita teve um filhote, o nome dele é Mingau.
O Garfield é listrado, laranja meio avermelhado e a minha gata é branca, tão branca que parece uma nuvenzinha. O filhote então é a cara da mãe.
O Garfield gosta de dormir e a gata de brincar, o filhotinho ainda nem come ração. Todo dia à noite quando eu chego do colégio, um deles sempre está me esperando no muro da minha casa e às vezes são os dois. Na TV quando passa Garfield, o desenho do meu gato, ele fica de olho aberto. Ele é a coisa mais fofa que existe e ele é bem carinhoso.
Botaram meu gato na internet, no Facebook. Dez pessoas já pediram autógrafo. O autógrafo é uma pata dele com lama carimbada no papel.
A minha gata adora tirar fotos, ela faz umas poses que dá até pra ser modelo.
Eu tenho muito amor pelos meus gatos. Eu amo eles!
O filhote é um luxo, é filhote e é bonito, bem bonito, mesmo quando eu estou assistindo TV no meio do programa e ele fica miando para comer.

O Povo, 10/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O valor do erro

Luiza de Amorim de Carvalho - Aluna da 3ª Série Ensino Médio


O processo de aprendizagem é dinâmico envolvendo processos teóricos e práticos, acadêmicos ou não, e, como tudo que abrange as atividades humanas, está ligado à possibilidade do erro.
Ao longo da história, a humanidade aprendeu com seus equívocos, aperfeiçoando seus conhecimentos e ações, aspecto principalmente relacionado ao desenvolvimento de técnicas e tecnologias, como ocorrido com o processo de aprimoramento da construção das pirâmides do Egito, que possuíram, primeiramente exemplares inviáveis para o uso como "mausoléus" (com mecanismos de sustentação inadequados) até chegar às maravilhas consagradas que duram até hoje.
O estudo do erro, suas causas e consequências bem como as maneiras de evitá-lo, permeia o estudo histórico, servindo, inclusive, de base para uma corrente de pensamento e ensino chamada de história didática ou pragmática.
Na escala pessoal, a percepção e análise dos equívocos também são fundamentais para o desenvolvimento da personalidade e do caráter de um indivíduo, como quando aprendemos a distinguir as pessoas de confiança à nossa volta.
Portanto, o erro é intrínseco à aprendizagem, porém não basta errar, é preciso entender porque se errou e como evitar a sua repetição, afinal, é como dizem: de erro em erro, vamos descobrindo nossas verdades.

O Povo, 10/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As flores

Cléo Florêncio Pedreira - Aluna da 3ª Série Ensino Médio


Um belo dia, numa casa, havia uma menina chamada Melissa, ela adorava flores. Certo dia Melissa perguntou ao pai se podia ir para a floricultura. Seu pai disse que sim, então Melissa ficou animada.
Chegando lá Melissa ficou encantada, tinha muitos tipos de flores: rosas, margaridas, petúnias etc. Melissa pediu para seu pai comprar a semente da rosa para plantar no quintal, seu pai deixou e Melissa ficou feliz.
Quando ela chegou em casa seu pai a ajudou a plantar a flor. No dia seguinte, quando Melissa foi ver a florzinha ela já havia crescido. Melissa passou horas e horas olhando a beleza de sua linda flor, e foi correndo pegar o regador para regar a florzinha.
No outro dia Melissa teve uma surpresa... Sua florzinha havia ganhado... espinhos.
Melissa ficou assustada, mas ao mesmo tempo alegre, porque sua flor havia ganhado espinhos, então chamou seus pais que também ficaram assustados.
Melissa deu um nome para ela: Sara, elas se divertiram muito e viveram felizes no jardim.
Há, eu ia me esquecendo: Sara, a flor, ganhou muitos amigos porque o pai de Melissa comprou mais rosas.

O Povo, 10/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O preconceito

Amanda Borges de Melo Vieira - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


No Brasil, onde o número populacional é bem elevado, parte das pessoas apresentam mobilidade reduzida. Entretanto, ao invés de serem "protegidas", muitas vezes são discriminadas por outros brasileiros.
Deficientes físicos, gestantes e idosos têm seus direitos reservados por leis nacionais nos mais diversos ambientes sociais. Ou seja, devem ser tratados de uma forma especial. Esses direitos incluem o uso de carros apropriados e mais baratos, permissão para serem os primeiros nas filas de espera de hospitais, caixas de supermercados, dentre outros.
Mas, apesar de essas pessoas aparentarem ter uma vida "obrigatoriamente" mais fácil, são elas as que mais sofrem dentro da sociedade, devido, muitas vezes, serem vítimas de preconceito proveniente de adolescentes e adultos sem uma boa base educacional.
Por isso, o ideal é que todos os brasileiros recebam uma boa base educacional familiar desde a infância, e que o governo, além de obrigar que haja o cumprimento das leis, oriente melhor a população através de propagandas e palestras sobre a forma como as "pessoas especiais" devam ser tratadas.

O Povo, 10/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O erro no dia a dia

Luisa Maria Machado Porto - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Ninguém nasce sabendo de tudo. Essa é uma frase que nossos pais gostam de repetir, não? Outra frase que eles também gostam muito de dizer é que ninguém acerta sem antes errar e, como sempre, os pais estão certos. O erro sempre esteve presente na vida de qualquer um. Na sala de aula ele pode parecer o pior inimigo do aluno, mas, no final, acaba sendo de grande ajuda. Isso porque quando erramos, vamos atrás de outra solução, aprofundamo-nos no assunto e melhoramos nosso aprendizado.
Mas não é só no colégio que erramos. Em casa, algumas vezes, agimos errado com nossos pais, irmãos, ou com nossos amigos quando estamos fora. O importante é reconhecer o erro, pedir desculpas e não repeti-lo.
Quando erramos, não devemos nos abalar. Temos que continuar tentando e nos esforçar, cada vez mais, para superá-lo. E não devemos, nunca, ter medo de errar.

O Povo, 10/04/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A união para a superação de problemas

Francisco Guilherme Galdino de Araújo - Aluno do Extensivo MeD


A união entre as pessoas para o cumprimento de objetivos comuns a estas é bastante importante. Desde o século XX, vemos exemplos de dificuldades, como a recuperação do Japão no pós-guerra, que necessitaram da harmonia entre os indivíduos. Além disso, a união é a base da sustentação de uma família e, também, da exigência de direitos políticos e sociais de uma população.
Em 1945, Hiroshima e Nagasaki, por exemplo, foram atacadas por armas nucleares. Nesse ataque, milhares de pessoas morreram e, também, vários estragos urbanos ocorreram. Mas, por causa de uma população bastante unida que trabalhou e que ainda se empenha para o desenvolvimento socioeconômico do país, o Japão se recuperou, conseguindo, até mesmo, tornar-se a segunda maior potência econômica do planeta.
Juntando-se a esse tipo de união, enfatizamos a importância da aproximação afetiva dos integrantes de uma família. Vários problemas, como doenças graves e crises financeiras, exigem dos parentes ajuda para serem solucionados. Isso corre com mais facilidade quando uma família tem seus membros unidos, preocupando-se, assim, por uma causa comum a estes.
Porém, a união em prol das exigências de direitos humanos de uma população, por exemplo, não é feita, intensamente, pelas pessoas em vários países. Sabemos que há grupos que reivindicam mais investimentos em segurança pública, educação, saúde, entre outros setores, por meio, principalmente, de greve. No entanto, esses grupos não são suficientes para fazer com que o governo cumpra com suas obrigações públicas. Enquanto tal mobilização não acontece, a corrupção, a fome, o analfabetismo e a saúde precária, por exemplo, continuarão sendo graves problemas em diversos países, como o Brasil.
Portanto, a união entre as pessoas deve ocorrer para que haja o cumprimento de objetivos comuns a aquelas. Para que isso ocorra em âmbitos familiares, os integrantes destes devem estar se reunindo, comemorando datas importantes para a família, ajudando financeiramente uns aos outros para que possam se unir. Em relação aos direitos humanos, cada um deve ter consciência destes e, com ela, unir-se a outras pessoas para manifestarem, intensamente, contra os problemas socioeconômicos do país.

O Povo, 20/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O erro faz parte da aprendizagem

Fernanda Duarte Barros - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


De acordo com o dicionário da Língua Portuguesa, Aurélio, errar significa falhar em algo, enganar-se, cometer atos incorretos.
Para mim, errar pode ser não fazer algo de acordo com o que se pede, não se sentir à vontade de fazer o certo com medo de magoar alguém, ou, às vezes, pode ser fazer algo para agradar alguém achando que é certo, quando, na verdade, é muito errado.
Quando erramos, na maioria das vezes, é porque não sabemos o certo, ou temos medo de segui-lo, então, depois que realizamos um ato errado, sempre vem alguém que nos ensina a diferenciar o certo do errado.
Nem sempre, aprender algo significa conhecer o certo, pois, às vezes, pessoas más nos ensinam coisas más dizendo que são certas, mas, se existe alguém do nosso lado, nos dirá que estamos errados e irá nos ajudar.
Se errar significa aprender, e aprender significa aprender o bem, então, sim, errar é necessário, mas não erros que machucam as pessoas, erros pequenos, que irão nos ajudar a sermos pessoas melhores.

O Povo, 20/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A humanização do atendimento de saúde

Ana Beatriz Arruda Carvalho de Oliveira - Aluna do Extensivo MeD


O exercício da Medicina deve priorizar, além da questão técnica, o tratamento humanitário dos pacientes. Um atendimento de saúde humanizado, ausente em geral, na prática dessa profissão, influencia positivamente na recuperação dos doentes e permite aos profissionais realizarem seus ofícios com uma maior satisfação.
Desde o século XIX, a ideologia positivista influencia no desenvolvimento das ciências médicas, o que tem levado, inegavelmente, a uma melhoria no atendimento técnico do paciente. Entretanto, paralelo a esse fato, foi sendo criado um distanciamento entre o profissional da saúde e o enfermo, e a patologia passou a monopolizar a atenção do ato médico. O doente é visto, cada vez mais, como um simples objeto de estudo e de aprendizagem acadêmica e seu conforto emocional é colocado em segundo plano durante o tratamento.
Nesse contexto, muitos profissionais esquecem que o atendimento de saúde deva ser feito com uma aproximação entre eles, e os pacientes, o que pode se dar, por exemplo, através de um maior diálogo entre as partes. O tratamento humanitário é um reflexo dos princípios básicos do exercício da Medicina, que envolvem a habilidade de ouvir e de observar com atenção e respeito às pessoas para, então, explicar a elas a natureza de sua enfermidade. Essa conduta profissional, além de ajudar a aliviar o sofrimento do doente, estimula o paciente a aderir ao tratamento, já que ele passa a compreender o seu estado de saúde e procurar melhorá-lo com a ajuda do médico.
Assim, o tratamento humanitário dos pacientes influencia positivamente na sua recuperação, já que são criados importantes vínculos de confiança e de respeito entre eles e os médicos. O objetivo fundamental dessa profissão, que é aliviar o sofrimento humano da melhor forma possível, é alcançado a partir do diálogo e da compreensão mútua.

O Povo, 13/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Focalize, organize, una!

Luana Serafim Freitas - Aluna da 2ª Série Ensino Médio


O ser humano sempre teve como característica marcante, a solidariedade, o ato espontâneo de cooperar. Quando um grupo de pessoas volta-se para um objetivo, facilmente, este, alcança o que quer.
Aquele que busca a correção de desníveis sociais e o fim das injustiças, sem visar lucros e a fim de promover uma socialização, é aquele preparado para redigir uma mudança social. Porém, este trabalhando sozinho é incapaz de promover tal mudança. Isso prova que é preciso além de boas causas uma união de pensamentos, para gerar grandes resultados.
Não importa se é para mudar um governo ou ajudar uma população arrasada, quando se tem uma integração de pessoas e um auxílio mútuo, os objetivos tornam-se possíveis. A união é um fator de desenvolvimento social.

O Povo, 13/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O que é preciso para uma vida melhor?

Gabriela Silva Holanda - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Existem tantos problemas que nos afetam diariamente, de forma direta e indireta, e que nos impedem de viver melhor, ou melhor dizendo, existem tantos problemas que nos impedem de simplesmente viver.
Muitos dizem que a vida é injusta, outras apenas a vivem sem lhe dar importância. Mas a verdade é que ela é bonita, e ter uma vida de qualidade depende apenas da sociedade, não das catástrofes ou imprevistos, que são problemas que acontecem, não somente com a espécie humana, mas com todas as outras, que também sofrem com as atitudes da nova sociedade.
Uma vida melhor talvez fosse uma em que tudo viesse para nós sem termos o mínimo esforço, ou uma em que todas pudessem fazer tudo o que quisessem. Porém, para uma vida melhor, bastaria que a liberdade existisse, mas não aquela em que fazemos tudo o que queremos, e sim a liberdade consciente e a obediência de todos para cumprir seus deveres enquanto integrantes de uma sociedade em que todos são importantes, assim como o respeito do direito de seus iguais.
Então, se a corrupção, a violência, a maioria das desavenças familiares, amorosas e entre amigos, mais a incerteza de poder sair na rua sem correr perigo algum de ter sua felicidade destruída por algo pudessem ser extintas ou evitadas por ações guiadas pela consciência de que devemos fazer o que é certo, tudo se tornaria melhor, inclusive a vida.

O Povo, 13/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amizade, uma parte de nós

Ariela Vanda Oliveira Linhares - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


A amizade é um dos sentimentos mais lindos, ter um amigo é ser feliz, é viver do jeito mais simples e divertido.
O amigo de verdade não é aquele que está sempre aos nossos pés e sim aquele que nos critica e sempre acha a melhor maneira de nos dizer que estamos errados.
Uma pessoa sem amigos não é feliz, eles nos completam, muitas vezes, só eles nos entendem, quando precisamos, eles sempre estão lá, para nos ouvir e nos dar conselhos.
É com nossos amigos que passamos os momentos mais emocionantes e perfeitos, é com eles que dividimos os nossos segredos e é com eles que aprendemos a amar.

O Povo, 06/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O universo dos livros

Cristina Pinheiro Gitirana Rocha - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Segundo o dicionário da Língua Portuguesa, ler é: conhecer, interpretar por meio da leitura; pronunciar ou recitar, em voz alta, o que está escrito.
Ler deve ser um hábito, um hábito praticado por todos. A leitura leva ao conhecimento, e este leva o homem para um nível mais elevado na vida.
Muitas pessoas pensam que ler é chato, porém elas estão enganadas. O livro é como um mundo, um mundo mágico onde o leitor pode ser o que quiser, um mundo onde qualquer pessoa pode encontrar e se sentir refugiada e livre dos problemas ao seu redor, para isso, basta escolher um livro, iniciar uma leitura e entrar em um novo universo, O universo dos livros.
A leitura não é importante somente para ganhar conhecimento, mas, também, para conhecer palavras novas, que, ao serem lidas e compreendidas uma vez, jamais serão esquecidas.

O Povo, 06/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Por que é importante ler?

Victória Gabrielli Morais Bernardo - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Ler. Uma palavra de três letras que pode mudar o mundo. Mas como? Por que é tão importante para a nossa vida?
A leitura nos dá aprendizado, educação e muitas outras virtudes. Temos que aproveitar porque quase nunca presenciamos oportunidades como essa. Nos leva ao mundo da imaginação, um mundo inteiramente nosso, onde só há o que queremos.
A educação, dada pelo privilégio que é a leitura, diminui os maiores problemas que a população enfrenta no dia a dia, como, os roubos, furtos e violência. Há várias crianças, na sociedade de hoje, que vivem na rua e querem muito uma boa educação, mas infelizmente não conseguem esse tipo de estudo. E, para ficar pior, algumas crianças que têm o colégio e o estudo bom, não aproveitam pensando que é besteira, mas não é.
Seria bom se todos se interessassem por leitura, algo tão bom. Seria bom se o mundo fosse diferente, transformado pela educação.

O Povo, 06/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A menina com asas

Amanda Luyza Mota de Castro - Aluna do 3º Ano do Ensino Fundamental


Era uma vez uma menina que se chamava Juliana. Ela tinha nascido com um par de asas. Ela ainda não sabia, mas eu vou contar como é que foi. "Um dia uma mulher chamada Júlia deu a luz a um bebê, e a menina se chamava Juliana. Ela a teve em sua casa com o marido Júlio."
A menina foi crescendo e se tornou muito bonita e a mais desejada pelos meninos. Um dia, porém, quando estava se trocando para ir a uma festa, suas costas começaram a coçar muito e, de repente apareceu um par de asas! Podia ser coincidência porque seu maior sonho era voar. Juliana queria contar a seus pais, mas não o fez senão eles iriam mandá-la para o hospital. Então tentou voar por vários dias. Até que um dia seus pais estavam sendo assaltados e ela muito triste ficou em cima da janela e saltou pegando seus pais. Então eles souberam das asas e não ficaram com raiva. Acharam bom ter uma heroína como filha, então viveram felizes para sempre e nunca foram assaltados.

Moral da história: o amor faz tudo para proteger!

O Povo, 06/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O bom da escola

Paula Nobre Costa - Aluna do 4º Ano do Ensino Fundamental


Minha escola é muito divertida.
Eu brinco de várias coisas. Uma das coisas que eu gosto é das minhas professoras.
Minha escola tem diversos cantos para brincar. O parquinho, quadra, ginásio, portaria, biblioteca e muito mais.
Eu e minhas amigas brincamos de pique-esconde na portaria. Pique-esconde é a brincadeira favorita minha e das minhas amigas.
Brincamos muito até cansar. É tão bom brincar!
É bom ter uma escola dessas, não?!

O Povo, 06/03/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As aparências enganam

Ana Ruth Silveira Gomes - Aluna do 9º Ano do Ensino Fundamental


O termo "preconceito" significa um conceito prévio, um julgamento. Hoje, esse tema é bastante abordado pela mídia, mas, poucos refletem sobre o que realmente é o preconceito, e se perguntam se são preconceituosos.
Não é apenas agressão verbal ou física, apenas um pensamento já é uma forma de preconceito. Por exemplo: muitas pessoas, quando veem um homem mal vestido e pobre na rua, pensam que ele é um ladrão, ou algo do tipo, e já saem de perto, com medo de serem assaltados, sem ao menos conhecer o indivíduo.
As pessoas mais perigosas podem usar trajes à rigor, andarem em carros de luxo, e ninguém perceberá o perigo, pois levam em conta a "embalagem", não o "conteúdo".
Nas escolas, os casos de "bullying" começam, na maioria das vezes, com o preconceito. Crianças inocentes são violentadas verbal e fisicamente, por serem "cheinhas", magras demais, ou serem negras. Todos eles e muitos outros são vítimas dessa sociedade preconceituosa.
Para não cair nessa "armadilha", devemos ter cuidado, procurando conhecer antes de julgar e tomar decisões precipitadas.

O Povo, 18/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O dia tem vida, o dia tem cor

Mahayana Clara Neves de Souza - Aluna do 4º Ano do Ensino Fundamental


A vida das plantas está na natureza
Mas que vida bela
a da minha flor!
Nela a felicidade está na cor.

O canto dos pássaros
Mas que beleza!
E gosto de sua cor.
Mas sua vida também tem valor.

A felicidade não tem vida
A felicidade não tem cor.
A felicidade só é sentida
pelo grande amor.

O Povo, 11/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O crime que segue camuflado

Larissa Alves Lopes – Aluna da 3ª Série Ensino Médio


O preconceito é um problema antigo. Na Idade Média, por exemplo, já existiam grupos de pessoas que eram consideradas inferiores, sobretudo os mais pobres e as mulheres. O preconceito racial foi mais marcante no contexto da colonização, quando o negro foi subjugado e tratado de forma hostil. Muitos foram os que lutaram pela igualdade de direitos entre brancos e negros e alcançaram importantes conquistas. Hoje, o preconceito quase não é perceptível. Mas será que ele está acabando ou está apenas camuflado?
Com a necessidade de mão de obra nas colônias, utilizaram um discurso racista para conseguir escravizar os africanos. Alegaram que a raça branca era superior, por isso deveria dominar os demais. Hoje é cientificamente comprovado que não existe, do ponto de vista biológico, uma diferença entre brancos e negros, no sentido de raça. Com o passar do tempo, o racismo continuou, como no regime do Apartheid da África, onde os negros eram segregados dos demais.
Grandes nomes, como Martin Luther King, lutaram pelos direitos dos negros e conseguiram inseri-los na sociedade. Entretanto, até hoje é possível notar que eles continuam à margem do desenvolvimento social, econômico e político. O preconceito segue comuflado por trás de situações já consideradas comuns, como a maioria da população mais pobre ser negra, ocupar a maioria das vagas das escolas públicas, altos cargos públicos raramente serem ocupados por negros, ou mesmo em campanhas publicitárias em que os negros são minoria ou aparecem em propagandas sobre a violência, por exemplo.
É necessário que haja uma reforma no ensino, com o objetivo de melhorar e valorizar as escolas públicas, para que seus alunos possam conseguir concorrer a vagas em universidades gratuitas. A mídia deve ser veículo de conscientização e não de transmissão de ideias preconceituosas. O governo deve assegurar que os negros, bem como toda a população, tenham seus direitos respeitados.

O Povo, 11/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A natureza

Raul Bessa Melo - Aluno do 4º Ano do Ensino Fundamental


Antigamente as florestas ocupavam grande parte do Brasil, mas, hoje ela diminuiu muito de tamanho. E quem fez este desmatamento foi o "SER HUMANO".
Hoje já existem muitos tipos de poluição: tem a poluição sonora, visual, e enfim, várias poluições. E a maior das poluições é a da água. A água serve para gerar vida na Terra e sem ela todos os seres que vivem na face da Terra morrerão.
Mas, se todas as pessoas colaborarem, a nossa natureza pode voltar a ser como ela era antigamente: linda, cheia de animais, plantas, árvores e flores. A natureza vai crescer e as guerras irão parar, para a paz mundial voltar a reinar.

O Povo, 11/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Fortaleza

Raquel Rabelo Teixeira - Aluna do 3º Ano do Ensino Fundamental


Fortaleza é uma cidade com habitantes felizes, é a capital do Ceará, tem asfalto, é uma cidade grande, tem escolas, hospitais, praças, monumentos, pontos históricos etc.
Eu gosto de morar em Fortaleza porque os habitantes são legais, tem lugares legais e divertidos, enfim, para mim é uma cidade completa com tudo que eu preciso.
Mas também há problemas como: muita poluição, assaltos, ruas esburacadas por causa da chuva, dentre outros problemas, mas Fortaleza é legal.
Em 13 de abril comemoramos o aniversário de Fortaleza e por isso eu desejo a ela que todos os problemas em Fortaleza sejam acabados e que ela fique com paz, amor, justiça etc.

O Povo, 11/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A felicidade

Larissa Bezerra Santiago - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


O conceito de felicidade tem sido muito confundido hoje em dia. As pessoas acham que dinheiro, carros e casas as tornam mais felizes, pois na sociedade em que vivemos, riqueza e poder estão sendo mais valorizados que os valores éticos.
Geralmente, essas pessoas mais ricas são as mais infelizes, pois trabalham demais, vivem aborrecidas e longe da família. São raras as vezes que sorriem. Para ser feliz de verdade, não é necessário luxo e riqueza, pois como se diz naquele ditado: "o dinheiro não compra felicidade". A família, um amigo verdadeiro, um abraço apertado, um beijo e uma palavra sincera valem mais que tudo e essas sim são fonte de felicidade, pois quem tem amigos e família passa por ótimos momentos. Quem ganha um beijo, um abraço ou uma palavra sincera fica feliz, porque são com esses pequenos gestos que encontramos a verdadeira felicidade.
Então, viva ao lado de quem você ama, valorize cada pequeno gesto e deixe de lado a ambição, porque assim você viverá feliz. Apenas sorria! Pois sorrir é sempre o melhor remédio.

O Povo, 04/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Em busca das Índias

Pedro de Siqueira Pires - Aluno do 5º Ano do Ensino Fundamental


Olá! Meu nome é Pedro e eu fui convocado pela marinha portuguesa para ser capitão. A primeira missão que recebi foi encontrar o caminho para as Índias e pegar especiarias.
Me juntei ao meu velho amigo de escola: Vasco da Gama, e nós formamos uma esquadra de 5 galeões. Estávamos prontos para partir de Lisboa; era 04:05 e nós partirmos.
Mesmo eu sendo o capitão não deixei de mexer nas velas porque a tripulação não estava dando conta. Na hora do almoço a comida há havia estragado, tivemos que aportar na Espanha. Com tudo pronto, nós partimos.
Horas depois de partirmos, caiu a maior chuva, ventava forte e havia grandes ondas. A noite não consegui pregar o olho, porque tinha medo que um monstro marinho destruísse o navio.
Tivemos muitos tripulantes doentes durante a viagem, mas chegamos a Calicute, compramos especiarias e outros produtos e a viagem de volta foi tranquila. Sabíamos que o rei ficaria feliz de saber que nós tivemos sucesso.

O Povo, 04/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O preconceito

Amanda Borges de Melo Vieira - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


No Brasil, onde o número populacional é bem elevado, parte das pessoas apresentam mobilidade reduzida. Entretanto, ao invés de serem "protegidas", muitas vezes são discriminadas por outros brasileiros.
Deficientes físicos, gestantes e idosos têm seus direitos reservados por leis nacionais nos mais diversos ambientes sociais.
Ou seja, devem ser tratados de uma forma especial. Esses direitos incluem o uso de carros apropriados e mais baratos, permissão para serem os primeiros nas filas de espera de hospitais, caixas de supermercados, dentre outros.
Mas, apesar de essas pessoas aparentarem ter uma vida "obrigatoriamente" mais fácil, são elas as que mais sofrem dentro da sociedade, devido, muitas vezes, serem vítimas de preconceito proveniente de adolescentes e adultos sem uma boa base educacional.
Por isso, o ideal é que todos os brasileiros recebam uma boa base educacional familiar desde a infância, e que o governo, além de obrigar que haja o cumprimento das leis, oriente melhor a população através de propagandas e palestras sobre a forma como as "pessoas especiais" devam ser tratadas.

O Povo, 04/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O prazer de viver

Beatriz Brito Mota - Aluna do 9º Ano do Ensino Fundamental


Muitas pessoas não sabem o que é viver, o que é o simples prazer de estar vivo.
Viver é lembrar de uma pessoa amada quando ouvimos uma música, lemos um livro ou assistimos a um filme. É voltar a ser criança, soltar cambalhotas, rolar na grama, jogar futebol na rua com os amigos, sujar os dedos no bolo que sua mãe fazia, achando que podia enganá-la. Viver é abrir o coração para as pessoas, sem perguntar quem elas são, o que fazem e quanto ganham. É ter qualidade de vida, paz de espírito e contemplar a natureza.
O prazer de viver está nos momentos mais lindos e simples da vida, basta olhar com humildade, compaixão e amor para as pessoas independente da cor, raça ou credo.


O Povo, 04/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
País das maravilhas

Sarah Vitória Castelo Saraiva - Aluna do 4º Ano do Ensino Fundamental


Um certo dia eu viajei para África. Eu pensava que lá era um lugar pobre, pequeno e cheio de leões, girafas, elefantes etc. Mas minha mãe disse que era só uma imagem errada de lá.
Em uma sexta-feira, 7 horas da manhã eu fui para o aeroporto, a fila estava pequena e depois de 20 minutos eu já estava no avião. Lá ouvi mil pessoas dizendo que a África era maravilhosa.
No sábado eu já estava lá e comecei a perceber que aquele país era mesmo maravilhoso, pois encontrei um buraco gigante que sem querer caí dentro e lá dentro era maravilhoso, cheio de pôneis e fadas.
Dei o nome de País das Maravilhas, passei tanto tempo lá que nem deu tempo de ver as maravilhas da África, mas comecei a desconfiar que todos conheciam o buraco, por isso diziam que a África era maravilhosa.
Mas falando a verdade, essa viagem foi a mais besta, já sei, você quer saber o porquê, né?! Eu vou dizer, foi chata porque eu acordei!!! Era um sonho!

O Povo, 04/02/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Pai

Beatriz Fojardo A. Lima - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Meu pai é o melhor do mudo
Ele é especial, ele é incrível
Por ele atravessaria o mundo!
Pularia de um helicóptero sem paraquedas!

Beberia até o mar de canudinho
Atravessaria o polo norte de shortinho
Pisava em um vulcão em erupção

Meu super-homem é meu pai.
Dia dos pais deveria ser todo dia
Ele não é pai todo dia?

Feliz dia dos pais.

O Povo, 21/01/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Meu amor por você!

Camilla Torres Maia - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Seu beijo me enfraquece
e também me endoidece
me enlouquece tanto,
que minha voz desaparece.
Seu abraço me aquece
Sua voz me protege
Seus olhos nunca vou
esquecer,
Suas mãos nunca deixarei
desaparecer.
Seu corpo faz eu te dizer
que eu amo você,
Te amo tanto,
que se você morrer,
eu não deixarei
de pensar em você.
Se você se perder de mim,
eu não vou parar de sofrer,
Eu não consigo viver sem você.

O Povo, 21/01/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amiga para sempre

Safyra Fernanda Vasconcelos Gouveia - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Amiga é para aqueles momentos
Que para nós é um tormento
Amiga é aquela pessoa especial
Que nos alegra quando estamos mal

Te guardo em um lugar bem grandão
Que se chama coração
Você está em minha mente
Sempre lembro de você rapidamente

Eu te faço essa poesia
Com muita alegria
Sempre do seu lado
Meu coração fica idolatrado.


O Povo, 21/01/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A situação preocupante que a humanidade enfrenta

Natália Rocha Furtado - Aluna da 2ª Série Ensino Médio


As alterações climáticas que vêm ocorrendo no planeta são cada vez mais preocupantes e levam à consequências, em sua maioria, desastrosas. Por esse motivo, o chamado aquecimento global gera discussões na sociedade atual.
O aumento da temperatura, intensificado devido a vários fatores, entre eles, a queima de gases combustíveis fósseis, pode causar desastres ambientais como o derretimento de geleiras e até mesmo, a falta de condições para a sobrevivência de diversos seres vivos, levando à extinção de suas espécies, o que pode causar desequilíbrio ambiental.
Para solucionar o problema do aquecimento global ou pelo menos reduzir seus efeitos, muitos cientistas e pesquisadores estudam condições para interromper ou amenizar o aumento da temperatura da Terra.
A solução para este problema deve ser do interesse de toda a população mundial, pois os efeitos do aquecimento podem afetar diversas regiões do planeta. Para tal solução, há várias maneiras de se contribuir, como por exemplo, com a utilização de fontes naturais para a obtenção de energia, o que reduziria a utilização de usinas nucleares, assim, com a diminuição do desmatamento e o processo de reflorestamento, seria mais fácil combater o aquecimento global, levando à estabilização das temperaturas, pois as plantas são agentes naturais que influenciam no resfriamento da Terra, devido ao aumento da umidade que causam. Estas ações para solucionar o aquecimento global podem gerar muitos gastos, porém podem evitar que desastres ambientais continuem acontecendo na Terra.


O Povo, 21/01/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A importância de ler

Renata Sousa Rocha - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Ler é importante para o aprendizado. A leitura estimula o desenvolvimento do cérebro. Ela estimula a imaginação. Com a leitura descobrimos mundos, jamais descobertos pelo homem.
Quando você lê um livro, você entra no livro. Você sente os sentimentos dos personagens. Existem vários estilos de livros. Livros de romance, suspense, aventura, drama, comédia, entre outros.
Além disso, quando aprendemos a ler, abrimos as portas para um futuro melhor, tanto para nós mesmos como para a sociedade. Por meio da leitura, aprendemos muitas outras coisas.
Por fim, vamos estimular o aprendizado e a leitura, contribuindo para uma sociedade mais organizada.

O Povo, 14/01/2012
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Poema de amor

Tayná Cavalcante - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Esse amor só me deixa feliz,
E me faz bem melhor,
Quando você me diz,
que eu sou o seu Sol.

Seu amor é minha poesia,
Tudo é sonho de felicidade.
Não há tristeza, nem despedida...
Essa paixão é amor de verdade.

Seu andar é faceiro...
Seus beijos meu guia de amor.
Seu destino o caminho perfeito
Indicando meu jardim de flor.

Sem você não sou nada.
É minha fantasia...
Alma de asas prateadas,
Você é minha vida.

O Povo, 10/11/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amor

Layla Caroline - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Eu te amo e quero
ficar com você
viver cada momento
e nunca mais lhe
esquecer.

Queria lhe dar
o sol, o céu e o luar
queria lhe dar
a praia, a orla e o mar.

Nossa amizade é
sincera e fraterna
que o nosso amor
e a nossa paz seja
para sempre eterna.

Que os nossos sonhos
sejam para sempre
realidade e a nossa
amizade seja para
sempre verdade.

O Povo, 10/12/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Caminhos a seguir

Ariane - Aluna da 1ª Série Ensino Médio


Verdade ou mentira (pode-se dizer que, quando se omite a verdade, mente-se) são dois caminhos a serem seguidos, ou melhor, escolhidos na vida de uma pessoa, mas a dúvida que prevalece está em qual deles seguir. Independentemente da situação, um caminho sempre será mais doloroso do que o outro, cabe a cada um, com seus valores e sabedoria, decidir qual deverá seguir.
Alguns seguem sempre o caminho da verdade. Para esses, mesmo em condições difíceis, a verdade deverá prevalecer, pois ela representa a honestidade e mostra que há amor e respeito para com o próximo. Outros afirmam que a mentira é a escolha mais fácil a seguir, pois dizem que essa não machuca as pessoas, enquanto a verdade sempre traz sofrimento e dor. Há ainda quem alterne na escolha de falar a verdade ou mentir, dependendo da situação e de seu benefício próprio.
A melhor decisão a ser tomada será sempre a da verdade, mesmo que essa seja o caminho mais difícil a seguir, só ela transparecerá a honestidade e respeito ao próximo. Aqueles que falam a verdade e praticam atos verdadeiros serão vencedores, pois realizam maiores conquistas do que quem mente, já que são admirados pela sua honestidade.

O Povo, 10/12/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A importância de ler

Renata - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Ler é importante para o aprendizado. A leitura estimula o desenvolvimento do cérebro. Ela estimula a imaginação. Com a leitura descobrimos mundos, jamais descobertos pelo homem.
Quando você lê um livro, você entra no livro. Você sente os sentimentos dos personagens. Existem vários estilos de livros. Livros de romance, suspense, aventura, drama, comédia, entre outros.
Além disso, quando aprendemos a ler, abrimos as portas para um futuro melhor, tanto para nós mesmos como para a sociedade. Por meio da leitura, aprendemos muitas outras coisas.
Por fim, vamos estimular o aprendizado e a leitura, contribuindo para uma sociedade mais organizada.

O Povo, 05/11/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ser poeta

Luana - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


O amor é claro, às vezes escuro
Mas precisa de um
Porto seguro

É luz acesa
É chama ardente
É alma quente

O amor é compreensão
é pura emoção
por quem se tem afeição

É a soma absoluta
de todas as lutas
que o coração tanto labuta.

O Povo, 10/09/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amarelo

Denis Oliveira - Aluno do 7º Ano do Ensino Fundamental


Amarelo
A cor do girassol
A cor da alegria
Que sempre contagia.

Amarelo
No nascer do dia
Aparece no sol
E na luz do farol.

Amarelo
De noite só emerge
No brilho das estrelas
E no sorriso dos namorados.

Amarelo
Na alegria de viver
Está presente
Esperando por você.

O Povo, 03/09/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O índio e sua contribuição para a identidade brasileira

Ingrid de Almeida - Aluna do Extensivo MeD


As tradições e os costumes indígenas contribuíram bastante para a formação da identidade nacional. Entretanto, ainda há muito a ser feito para que a cultura indígena, tão rica e tão diversificada, seja devidamente reconhecida pela sociedade brasileira.
Dentre as mais importantes contribuições dos índios, há os conhecimentos a respeito das propriedades medicinais das plantas encontradas nas florestas, os quais foram fundamentais para o desenvolvimento da indústria farmacêutica. Tais conhecimentos têm sido explorados desde o Período Colonial, quando os jesuítas ocuparam o território nacional e passaram a organizar os aldeamentos, onde os índios eram catequizados. Com os conhecimentos adquiridos a partir desse contato com os diversos povos indígenas existentes no Brasil, os jesuítas puderam lucrar bastante, explorando e comercializando as chamadas “drogas do sertão”.
No entanto, ainda há muitos aspectos das tradições indígenas a serem incorporados à identidade nacional. O hábito de viver em harmonia com a natureza, por exemplo, que os índios possuem há tanto tempo, torna-se cada vez mais imprescindível à preservação da vida no planeta Terra. Isso demonstra o quanto eles, que valorizam e respeitam a natureza, ainda têm a ensinar à sociedade civilizada e globalizada.
Portanto, para que os povos indígenas sejam devidamente valorizados, é necessário que haja maior divulgação das suas contribuições para a formação da identidade do povo brasileiro, através de documentários e de programas televisivos, por exemplo. É também importante que o governo incentive o ensino de aspectos da cultura indígena nas escolas, através de legislação específica.

O Povo, 03/09/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Como a escola pode utilizar com eficiência e adequação pedagógica ferramentas como tablets?

Ademar Celedônio - Supervisor pedagógico do Colégio Ari de Sá

O uso de recursos tecnológicos consiste em se alinhar os modelos pedagógicos tradicionais às necessidades de quem de fato os usa. Dentre tantas ferramentas disponíveis hoje, acreditamos que os tablets sejam as que podem contribuir mais significativamente, uma vez que a possibilidade de integração de diversas mídias em sala de aula pode tornar o ganho pedagógico substancial. Imagine numa aula de Geometria, de forma simples, ser possível visualizar a planificação de um prisma em três dimensões, ou mesmo, numa aula de Biologia, o aluno poder, com um pequeno toque na tela, visualizar com detalhes as organelas de uma célula, e, ainda, o professor poder salvar anotações feitas por ele durante a aula e enviar para todos os alunos.

Confira a Reportagem...

O Povo, 03/09/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Brasil

Lara Priscila - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


No Brasil há muita riqueza
Mas também muita pobreza
Desigualdade continua na mesa
Onde esperamos pela nobreza

Brasil gigante e pequenino
Na visão do homem e do menino
Terras férteis do Divino
País do meu povo que muito estimo

Brasil terra de Cabral
Onde viveu o homem ancestral
Lugar de grandeza vegetal
Também de animal e mineral.

O Povo, 27/08/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A natureza

Carlos Arthur - Aluno do 6º Ano do Ensino Fundamental


A natureza é uma coisa inacreditável!
Com animais, plantas e flores.
Além de ser linda é amável com todos os animais.
Ela é um mundo cheio de cores!

Pena que nem todo ser humano a respeita,
com indústrias, automóveis e guerras.
Enfim, tudo que tenha um papel de destruir a natureza, que,
pelo menos, alguns a respeitem, com um toque no coração!

Devemos pensar que, quando estivermos destruindo
a natureza,
É a mesma coisa de destruir uma cidade.
Devemos ter noção do que estamos fazendo
Para darmos ideias aos nossos filhos de qualquer idade,
De como feliz e sensata pode ser a humanidade.

O Povo, 13/08/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sempre ao meu lado

Beatriz Facundo - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Ela é linda, perfeita, maravilhosa,
Sempre me dá carinho, amor, paz,
Me aceita, me ajuda, me ama como sou,
Nunca me esquece, nunca me deixa para trás.

Mãe protetora, mãe ‘coruja’,
Não deixa nada de mal me acontecer,
Cuida de mim como se fosse um bebê,
Pois não suporta me ver chorando.

Quando tenho pesadelos,
Ela acorda e faz passar toda dor,
Reza comigo,
Me conforta nos travesseiros.

Escovou meus dentes quando eu não sabia,
Apagou a luz para eu ir dormir,
Penteou meu cabelo após o banho,
Me amou antes de eu existir.

Sente saudade quando não me vê,
Seja por uma hora ou seja por um dia,
Sente falta de mim,
E sinto falta da minha melhor companhia.

Me viu nascer e me viu crescer,
Me ama muito,
E eu sempre vou amar você Mamãe!

O Povo, 13/08/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mulher e sua independência

Gabriella Pinho - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Nós conseguimos chegar
Onde nenhum homem
Conseguiu chegar
Fomos humilhadas e expulsas da sociedade
Mas mesmo assim seguimos em frente

Mulher é como uma rosa
Tem que ser manuseada com cuidado
Mas a quem não cuidar bem dela, ela pode
Mostrar seus espinhos.

A mulher é tão importante para a sociedade
Que até temos um dia em nossa homenagem
Somos importantes,
Somos mulheres.

O Povo, 13/08/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Os problemas da terceira idade

Ana Luiza - Aluna da 2ª Série do Ensino Médio


Quando somos crianças necessitamos de um constante apoio: precisamos de auxílio para nos locomover, de alguém que troque nossas fraldas, de alguém que nos dê comida e explique o que ocorre ao nosso redor. Podemos, então, fazer uma comparação de nossa infância com nossa velhice, quando também precisamos desse auxílio.
Como a sociedade tem uma grande tendência a isolar os idosos e muitas famílias não têm condição financeira e até mesmo psicológica de mantê-los, a saída mais provável é o asilo.
Entretanto, muitas vezes, esses espaços não têm a mínima capacidade física ou até mesmo não possuem profissionais capacitados para cuidar de idosos.
Se nós nos unirmos em prol da melhora estrutural dos asilos, para a contratação de profissionais capacitados e que gostem do que fazem, talvez os idosos tivessem um final de vida mais digno, mais feliz, e talvez até estimularia as famílias a visitá-los mais vezes.

O Povo, 25/06/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As rosas

Beatriz de Matos - Aluno do 6º Ano do Ensino Fundamental


As rosas colorem o ambiente
As rosas enriquecem a mente
As rosas dão um perfume gostoso
As rosas são de tirar o fôlego

As rosas ajudam o planeta
As rosas são bonitas com certeza
As rosas são bonitas de se ver
As rosas ajudam a crescer.

As rosas dão vida ao mundo
As rosas dão paz aos seres vivos
As rosas dão vida ao ambiente
As rosas ajudam a gente

O Povo, 25/06/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Saúde esquecida

Sérgio Rhuan - Aluno do 8º Ano do Ensino Fundamental


Atualmente no Brasil a saúde pública está sendo esquecida, para a realização, principalmente, da Copa do Mundo, que recebe a maioria dos investimentos, inclusive aqueles destinados para a saúde.
Os governos públicos, ao investirem na construção de praças, estradas, pontes, estádios de futebol, querem fazer uma espécie de “maquiagem” do que realmente está acontecendo na saúde e na segurança pública.
As famílias mais humildes, quando alguma pessoa fica doente, recorrem logo aos postos de saúde, mas muitos deles estão sem médicos, ou remédios, necessários para curar aquela doença.
Os equipamentos públicos, como as ambulâncias e aparelhos necessários para a realização de exames, estão sucateados pela de falta de manutenção.
Precisamos de políticas públicas que procurem fazer do nosso país, um local bom para se morar ou, pelo menos, com as mínimas condições dignas para se viver.

O Povo, 25/06/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A natureza

Carlos Arthur - Aluno do 6º Ano do Ensino Fundamental


A natureza é uma coisa inacreditável!
Com animais, plantas e flores.
Além de ser linda é amável com todos os animais.
Ela é um mundo cheio de cores!

Pena que nem todo ser humano a respeita,
com indústrias, automóveis e guerras.
Enfim, tudo que tenha um papel de destruir a natureza, que,
pelo menos, alguns a respeitem, com um toque no coração!

Devemos pensar que, quando estivermos destruindo
a natureza,
É a mesma coisa de destruir uma cidade.
Devemos ter noção do que estamos fazendo
Para darmos ideias aos nossos filhos de qualquer idade,
De como feliz e sensata pode ser a humanidade.

O Povo, 11/06/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A mulher brasileira

Ana Cecília - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


A mulher brasileira é
Amorosa, carinhosa, corajosa...
Tem beleza, inteligência
É paciente, é trabalhadora, é única.

A mulher brasileira tem importância
valorização, sensibilidade...
A mulher brasileira tem responsabilidade!

Cada mulher é única, especial,
tem amor no coração;
dá valor ao que faz de melhor:
Ser mulher.

O Povo, 11/06/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mãe

Camila Torres - Aluna do 8º Ano do Ensino Fundamental


Mãe é brilhante
Mãe é cintilante
Mãe é a cada instante
Mãe é importante

Mãe ensina
Mãe aprende
Mas não enrola
a gente

Mãe multiplica
Mãe soma
Mas não é ruim
de conta

Mãe tem linguagem
Mãe tem seriedade
Mãe tem honestidade

Mãe é especial
Mãe é irreal
Mãe é legal
Mas não é igual

Às vezes é enigmática
Mãe é mistério
Mãe tem olhos sinceros.

O Povo, 07/05/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A valorização da mulher do século XXI: avanços e desafios

Renan Gomes - Aluno do Extensivo MeD


A sociedade do século XXI tem avançado em muitos aspectos no que concerne à igualdade de direitos sociais. Pode-se citar, como exemplo, a crescente participação das mulheres no mercado de trabalho, sobretudo com o acelerado processo de urbanização nas últimas décadas.
Em contrapartida, o reconhecimento pleno da igualdade entre os gêneros ainda está longe de ser efetivado, sobretudo em países subdesenvolvidos com grande parcela da população ainda rural. Um fato concreto que justifica essa ideia é o número elevado de casos de violência física e sexual contra a mulher, o que sugere uma ideologia de submissão ainda aceita por grande parte da população.
Dessa forma, por mais lento que seja este processo, as mulheres devem intensificar a realização de movimentos sociais que busquem eliminar do cotidiano ações que caracterizem desrespeito a seu gênero, despertando uma maior atenção das autoridades públicas nesse aspecto.
Tais problemas podem ser minimizados com uma ampliação de serviços jurídicos especializados no combate à violência contra a mulher, além da aplicação de punições às diferentes formas de desrespeito, sobretudo àquelas veiculadas frequentemente na mídia, como em programas humorísticos e em composições musicais que desvalorizam a figura feminina.

O Povo, 19/02/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O livro famoso

Clara Garcia - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Desde que eu era pequena, sempre gostei muito de ler e escrever. Hoje já tenho vinte anos e vou escrever um livro falando um pouco sobre o tempo juvenil.
Estou nervosa, pois não sei se o meu livro vai ser escolhido para se tornar famoso, e tenho medo das pessoas não gostarem. Eu já terminei de escrever o livro, agora vou mandar publicar, hoje é o dia mais feliz da minha vida, pois publicarei o meu primeiro livro.
Já estou com ele pronto, e já vou fazer propagandas para as pessoas o lerem. Meu livro já foi lido por mais de cem mil pessoas e agora está saindo em capas de revistas e jornais.
Depois de um ano meu livro ganhou o primeiro lugar, pois foi lido por mais de cem bilhões de pessoas e agora ele é famoso, e eu estou me tornando uma pessoa rica, graças ao meu livro.

O Povo, 12/02/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Querido diário, ...

Gabriela Paulino - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Fortaleza, 1º de outubro de 2010,
Querido diário,

Desculpe-me por ter passado dois dias inteiros sem escrever. Eu estava internada no hospital. Por quê? Ah, porque eu estava com tétano. É uma doença que se pega por se machucar com materiais contaminados.
Na terça-feira, eu estava andando pelo jardim daqui de casa quando me feri com um ferro que estava solto e que era da minha bicicleta. O ferimento passou um dia sem doer ou sequer arder. Até que, na quarta-feira, o pé machucado estava todo inchado.
Minha mãe me levou imediatamente ao hospital e eu tive que passar um dia lá, internada. Eu só recebi alta quinta-feira à noite. Passei a manhã inteira de hoje na televisão e no computador. Foi muito entediante.
Enfim, agora estou de volta para escrever.
Até amanhã.
Gabriela.

O Povo, 05/02/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A questão do aborto e sua repercussão no mundo

Arthur Fernandes - Aluna da 2ª Série do Ensino Médio


Durante os últimos tempos, a legalização do aborto tem sido um dos assuntos mais debatidos em diversas partes do mundo. Entram em questão os aspectos morais, étnicos e religiosos, responsáveis por tornar esse tema tão criticado.
Entretanto, a grande maioria dos países desenvolvidos, em especial os europeus, conseguiu flexibilizar sua política governamental. Desse modo, tornou-se possível a criação de leis que permitem o aborto por motivos econômicos e sociais. Em contrapartida, essa medida não é igualmente aplicada em países subdesenvolvidos. Dentre essas nações, encontra-se o Brasil, que, de acordo com seu Código Penal, não pune o aborto em casos de estupro e quando a mãe corre risco de vida.
Diante de tais fatos, podemos concluir que a legalização do aborto dificilmente será aceita em todos os países, justamente pelos diferentes modos de interpretar essa prática, vista por muitos como uma desvalorização da vida humana. Uma atitude mais prudente seria, por exemplo, o estímulo a campanhas de planejamento familiar, que poderia conscientizar as famílias pobres a terem poucos filhos.

O Povo, 29/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Uso sustentável do capital estrangeiro

Fernanda Zidnik - Aluna da 2ª Série do Ensino Médio


A Floresta Amazônica está sofrendo sérios riscos de perder parte da sua enorme biodiversidade através do desmatamento, atividade que vem perdendo o controle das autoridades dos países que possuem esse bioma. Visando preservar a Floresta Amazônica, pode-se utilizar o capital estrangeiro para o pagamento aos proprietários de terra da região para que não desmatem esse bioma.
O aumento da conscientização mundial a respeito da importância biológica da Floresta Amazônica e o grande número de ONGs destinadas a preservá-la facilitam a obtenção do capital estrangeiro.
Porém, muitas empresas e proprietários de terra que utilizam a madeira comercialmente lucram com o desmatamento da Floresta Amazônica, podendo ser necessário uma quantia de pagamento inviável para a interrupção dessa atividade.
Além do pagamento, as empresas e os proprietários de terra que utilizam a madeira amazônica comercialmente poderiam receber o auxílio de profissionais na ajuda do investimento do seu capital em áreas lucrativas que não prejudiquem o meio ambiente, como a pesquisa biotecnológica relacionada ao bioma amazônico.

O Povo, 29/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O livro famoso

Camilla Torres - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


Pra ser amigo,
tem que ter carinho,
ter sorriso, ser abrigo.

Pra ser amigo,
precisa de honestidade,
amizade, solidariedade.

O amigo só poderá existir
se houver confiança,
que traz esperança.

O Povo, 22/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O livro famoso

Clara Garcia - Aluna do 6º Ano do Ensino Fundamental


Desde que eu era pequena, sempre gostei muito de ler e escrever. Hoje já tenho vinte anos e vou escrever um livro falando um pouco sobre o tempo juvenil.
Estou nervosa, pois não sei se o meu livro vai ser escolhido para se tornar famoso, e tenho medo das pessoas não gostarem. Eu já terminei de escrever o livro, agora vou mandar publicar, hoje é o dia mais feliz da minha vida, pois publicarei o meu primeiro livro.
Já estou com ele pronto, e já vou fazer propagandas para as pessoas o lerem. Meu livro já foi lido por mais de cem mil pessoas e agora está saindo em capas de revistas e jornais.
Depois de um ano meu livro ganhou o primeiro lugar, pois foi lido por mais de cem bilhões de pessoas e agora ele é famoso, e eu estou me tornando uma pessoa rica, graças ao meu livro.

O Povo, 22/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A poesia

Isabele Costa - Aluna do 4º Ano do Ensino Fundamental


A poesia é motivo de alegria
Cai na melodia ou no ritmo da folia
Tem que ter inspiração
Para rimar com atenção.

Ninguém precisa ser poeta
Para fazer uma poesia
No avião, no caminhão, sempre com o lápis na mão
Se tiver dúvida na rima
É só falar com o coração
O que importa é a intenção.

O Povo, 22/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O verdadeiro sentimento

Beatriz Magalhães - Aluna do 7º Ano do Ensino Fundamental


O coração confuso esclarece tudo;
não é amor, nem paixão;
é só amor de irmão.
Profundezas de amizades!

Amor de um tio
para um sobrinho;
de um pai
para um filho.

De melhores amigos;
De uma pessoa que considera
a outra a mais importante.

O Povo, 15/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O desrespeito à terceira idade

Ringo Stone - Aluno do Extensivo MED


Os idosos merecem atenção e tratamento adequado em qualquer sociedade do mundo. Entretanto, isso não é o que se percebe em muitas nações do globo, como o Brasil. Se o país deseja tornar-se desenvolvido, é preciso dedicar mais atenção a essa parcela da sociedade.
Com o começo da industrialização no Brasil no começo do século passado, a população brasileira passou a se deslocar para as cidades. Com isso, as pessoas passaram a ter mais acesso a serviços de saúde. Esse processo provocou um aumento significativo na expectativa de vida no Brasil.
Assim, a população de idosos cresceu e, para contemplá-la, foi criado o Estatuto do Idoso. Ele garante a essas pessoas o direito à vida e a todos os instrumentos necessários para vivê-la com qualidade. Além disso, afirma que garantir tais condições é dever não só do Poder Público, mas também da sociedade.
Porém, não é difícil constatar que esses direitos não estão sendo respeitados. Muitos idosos têm grandes dificuldades para manter seu estado de saúde adequado, pois são abandonados pela família e o dinheiro recebido da aposentadoria é insuficiente para comprar os remédios. Além disso, é frequente no noticiário televisivo casos de maus-tratos a idosos. Dessa forma, buscando atingir a condição de país de Primeiro Mundo, o Brasil deve tomar medidas efetivas para valorizar o idoso. É preciso reduzir o tempo de aposentadoria para que, assim, as pessoas tenham condições físicas e mentais de aproveitar a terceira idade com qualidade de vida. É importante também que o Poder Público invista mais na Previdência Social e que cada cidadão preze pela vida do idoso, tanto no âmbito familiar como na sociedade em geral.

O Povo, 15/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Esmola: partilha ou exclusão?

Thaís Alexandrino - Aluna do 3º Ano do Ensino Fundamental


A esmola, que deveria ser vista como uma ajuda ou até mesmo como um gesto de solidariedade, entrou no cotidiano dos brasileiros. O cidadão para no sinal de trânsito e, com um ato mecânico, junta as moedinhas que encontra e, por fim, as entrega a um pedinte na rua.
Crianças, idosos, doentes e mendigos recebem diariamente alguns trocados e, com isso, tentam sobreviver. Dessa forma, a esmola, que deveria ajudar os necessitados e partilhar os bens dos mais favorecidos, termina excluindo os miseráveis e aumentando as diferenças entre eles e o restante da sociedade.
O que os pobres e os marginalizados precisam é de emprego, os idosos e os incapacitados, de programas de auxílio e as crianças, de escolas e educação; somente dessa forma poderá se combater a pobreza, a fome e a miséria. Pequenos trocados não resolvem a situação de forma definitiva, apenas temporariamente.
Diante desse problema, o melhor a ser feito é a mobilização da sociedade para a contribuição e o auxílio voluntários a entidades e associações filantrópicas. Dessa forma, pedintes não se acomodarão sobrevivendo apenas de esmolas (já que elas só serão doadas a instituições) e o contribuinte terá uma maior certeza quanto ao destino final do dinheiro, visto que vários pedintes gastam com bebidas e drogas.

O Povo, 11/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O sapo assustador

Davi Sensato - Aluno do 2º Ano do Ensino Fundamental


Um dia Cecília saiu para colher flores. Ela colheu violeta, rosa, margarida e girassol. Ela não sabia que havia um sapo no jardim. Ela estava tranquila, quando de repente o sapo saiu dos arbustos.
Ela levou um susto e saiu correndo para dentro de casa.

O Povo, 11/01/2011
Jornal do Leitor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Washington Soares Duque de Caxias Aldeota Mário Mamede
(85) 3477.2000 (85) 3255.2900 (85) 3486.8400 (85) 3521.6000
© 2017 - Todos os direitos reservados - Colégio Ari de Sá Cavalcante
aridesa@aridesa.com.br